#SouCX – Conheça a Maria Clara

A gigante de CX

Qual é a coisa mais maluca que você já fez na vida?

Putz, eu sou bem “maluca”, logicamente fiz algumas coisas meio fora da casinha. Sempre penso muito numa poesia/música do Chico – Bom Conselho: Eu semeio o
soucx_maria-clara

Maria Clara (pra minha mãe não me matar), mas mais conhecida como Maria, Má, Grande, MáClá, Clarinha…

vento/Na minha cidade/Vou pra rua e bebo a tempestade”, que é quase uma autobiografia.

Dito isso, das doidices eu falaria sobre ter comprado uma casa em uma outra cidade junto a um antigo namorado para poder viver com ele, claro, mas muito para estar perto de uma das minhas amigas mais queridas. Também falaria de ter decidido me casar e me mudar para São Paulo “por amor”, tudo no mesmo “combo” da vida, tendo namorado somente na ponte aérea com o meu ex-marido e, passar disso para dividir teto, conta e banheiro.
Outra coisa bem marcante foi uma vez que estava tendo uma discussão muito ruim com um amigo meu, que hoje é meu namorado (e ainda soa estranho dizer isso, confesso – longa história), e decidi que iria pra cidade dele, que ficava a seis horas de distância, naquela noite, para fazermos as pazes. Ah, falando nisso – resolver dar o “próximo passo” em uma amizade de mais década e lidar como que quer que acontecesse se encaixaria? Ou desistir de uma vaga na Bandeirantes quando teu velho pai infartou para passar mais tempo com a família?
Mas, ainda tenho para mim que o destaque seria para tentar sempre me manter fiel a mim mesma em tudo o que faço, mostrando como eu penso, falando o que precisa ser dito – com carinho, respeito e consideração, além de acreditar que o amor é a única revolução possível e verdadeira. Piegas, eu sei, mas, confirma o que acabei de dizer, hehehe.

O que te faz sorrir/feliz?

Eu sou bem alegre, então a lista do que me faz sorrir é imensa. E não é força de expressão! Veja só:
  • Fotografia
  • Poesia
  • Tatuagem
  • Comidas
  • Vinho
  • Cerveja
  • Cachorros
  • Minhas duas cuscas*
  • Esportes em geral
  • Remo
  • Kung fu
  • Basquete
  • Dança de salão
  • Corrida
  • Velas e luzes intimistas
  • Cores vibrantes e divertidas
  • Vermelho em todos os seus tons
  • Melissa e sua praticidade sapatistíca
  • Pudim de leite – a melhor e mas simples sobremesa
  • Cinema – nada como uma tela enorme
  • Maratona de séries, valendo até assistir no celular
  • Filmes com boas notas em excelentes companhias, mesmo que só
  • Dias chuvosos e sua plasticidade não óbvia
  • Piquiniques com direito a toalha xadrez e cesta de vime
  • Música para tornar a vida mais leve
  • Alanis Morissette – absolutamente linda
  • A música Perfect em dias tristes
  • Viagens em geral
  • Viagens de moto
  • Viagens do nada
  • Viagens sem destino
  • Viagens sem volta
  • Praia em qualquer tempo e a qualquer momento
  • Abraços demorados e apertados
  • Sorrisos maliciosos
  • Sorrisos com o olhar
  • Olhares que falam mais que palavras
  • Minha família, sempre
  • Meus amigos – perto, longe, onde for
  • Um certo lápis que ganhei de um amigo muito especial
  • Cartas e coisas escritas à mão
  • Papos profundos e filosóficos
  • Jogar conversa fora
  • Passeios na Redenção
  • O bairro bom fim
  • Mostrar caminhos às pessoas
  • Ouvir sonhos alheios e estimulá-los
  • Compartilhar medos e superá-los
  • Amparar e confortar quem precisar
  • Tocar as pessoas, literal e figurativamente
  • Pequenas inconsequências
  • Grandes curiosidades
  • Enormes cumplicidades
  • Profundas intimidades
  • Algumas excentricidades
  • 2001 e todos os anos subsequentes, com sua beleza
  • A cidadee de “Santa Bárbara” e uma época que não volta mais
  • A cidade de Porto Alegre, onde eu nasci
  • A cidade de São Paulo, onde eu me tornei o que sou hoje

O que você fazia antes da Pitzi? 

Eu sou jornalista não praticante e, no andar da minha vida até então, fiz uma série de coisas relacionadas à área e outras tantas que não tem nada a ver com isso ~ comunicação~, mas que fizeram sentido para mim.
Bom, já fui bolsista de editoração gráfica na então minha universidade, a UFRGS, tendo desenvolvido projetos próprios; também fui estagiária na assessoria de imprensa do Ministério Público Federal em suas instâncias; Trabalhei na Secretaria de Saúde do RS bem quando surgiu a H1N1, que eu tive, inclusive; Fui produtora do Manhã Bandeirantes na Band AM e larguei quando meu pai teve um infarto, o que quase o levou a ter o segundo, bem como ao meu apresentador; Também fui figurante e modelo fotográfico, gravei matéria para a Voz do Brasil (mais de uma vez), organizei um encontro entre mulheres para trocar ideias e roupas, fui e sou voluntária da Bicho de Rua, fiz curso de barista e de adestradora, sou campeã gaúcha de basquete e participei em uma pesquisa científica só de curiosa, fotografo por hobby e sei costurar.
Quando estava quase desistindo de me formar, quis pensar na vida e fui trabalhar de bartender no Applebee’s; Sem ter encontrado o caminho profissional e tendo achado o amor, mudei pra São Paulo, sem trabalho e com as minhas cachorras para me casar. Na capital financeira do país, seis meses depois de ter chego, tentei trabalhar de passeadora de cães e fui contratada para gerenciar toda a comunicação de uma creche canina; Aí saída de lá, fui tentar ser social media, parando na Nokia e ganhando um monte de prêmios que nem sabia ser capaz… E agora, nesse momento que parece o mais estável da minha intensa existência, estou na Pitzi, além de tocar uns projetos pessoais paralelos – como uma pós graduação em Porto Alegre… morando em São Paulo. <3